What’s going on

janeiro 23, 2010

Como era bom ser criança, brincar pelo quintal sem se preocupar, assistir á programas infantis e rir das coisas alheias, estendendo a mão para ajudar a mãe nos afazeres domésticos. Quanto mais o tempo passa, mais eu me sinto nostálgico, e com vontade de me desligar deste mundo caótico.

Televisão hoje é um meio de deprimir o seu ego, quer ficar mal? Ligue a Televisão. Tudo é tão sensacionalista, ou é a pura verdade que não queremos acreditar. Já perdi a contas do tamanho dos absurdos, dezenas de crianças inocentes e abandonadas em qualquer lugar imundo, adolescentes sendo abusadas, mulheres sendo agredidas pelos seus próprios “parceiros”, e tudo isso sendo supervisionado pela natureza, e me parece que ela não está nem um pouco contente!

É notável a sua ira, o mundo sempre foi desequilibrado, e o Homem não lutou o suficiente para estabelecer um equilíbrio entre o meio ambiente, e o que vemos é a resposta, um grito alarmante que de nada parece ajudar.

Quantas vidas já não estão entre nós, estão perambulando buscando entre os escombros, vestígio de uma vida que se foi, quantos brasileiros se afogando em meio á tanta falta de cuidado e atenção, e o mundo sendo castigado enquanto o Homem finge não saber o motivo.


Aonde vamos parar? Enquanto se datam ofim do mundo, acho que a natureza esta mostrando que quem determina o tempo é ela. Até quando daremos maior atenção para as reformas tecnológicas (paranóia hi-tec)? E se esquecer do meio ambiente que nos acoberta dos acontecimentos naturais (mesmo que devastadores). Até quando nos preocuparemos com a mais perfeita inteligência artificial? E esqueceremos do eu pensante, que no momento de nada pensa e nada acontece.

A pergunta que fica no ar (se desviando das freqüências wi-fi), até quando?

Por Fábio Santos

Sugestão de Musica: What’s going on (Cyndi Lauper)

Anúncios

Pedreiro foi condenado á 20 anos de prisão pela morte de Gabrielli Cristina Eichholz.

agosto 18, 2008

O pedreiro Oscar do Rosário, 22 anos, foi condenado á 20 anos de prisão, em regime fechado, pela morte de Gabrielli Cristina Eichholz, de apenas  1 ano e 6 meses, no dia 3 de março de 2007, em Joinville, Santa Catarina.  No ínicio ele havia negado, depois disse que mentiu por medo da polícia, mas as evidências vieram á tona, foi condenado.

   
acima a mãe e as lembranças de Gabrielli, um rostinho angelical.

O monstro (Ocar do Rosario) foi condenado por 13 anos 8 meses por homicídio duplamente qualificado e 6 anos e 4 meses por atentado violento ao pudor, e para o não espanto da sociedade, ele já respondia 2 processos judiciais por violência sexual e o outro por furto (de fios de cobre !?).
Este ser citado acima teve a coragem de tirar a vida de uma inocente, a crueldade foi tamanha que Gabrielli chegou inanimada no hospital (até constatarem que houve violência sexual).
No dia 03 de março de 2007, os “fiéis” participavam de um culto no templo da Igreja Adventista do 7º, Oscar abordou Gabrielli no pátio da igreja  (já que a garotinha estava na escola sabatina), ele a abusou em pleno horário do culto !!! Enquanto Gabrielli chorava desesperadamente (estavam em uma sala em construção), ele á esganou e afogou no tanque batismal da igreja.
O inacreditavel é que a igreja colaborou somente com R$ 250,00 com as despesas do sepultamento de Gabrielli, sendo que eles gastaram mais de R$ 2,000,00 (segundo á própria mãe).
Fiquei atônito ao ler que o Pastor (prefiro nem citar nome), disse que não vê problema em reutilizar o tanque batismal nos futuros cultos prestado na igreja.
O caso demorou mais de 1 ano para ser solucionado, vendo que em um país como o nosso foi até rápido, mas é incrivel em ver esta onda de acontecimentos trágicos .

Hoje em dia, o túmulo de Gabrielli Cristina Eichholz é um altar de orações, uma vida que nem viveu o suficiente para aprender as coisas boas da vida, e com certeza deixou muita saudades.

Há uma revolta muito grande rondando minha cabeça, não consigo entender por que tal atos ocorrem, onde está o AMOR e a  COMPAIXÃO ?  O que está acontecendo que não se valoriza mais a vida, a vida têm parecido tão frágil quanto um floco de gelo, qualquer um se acha no direito de “tirar” um vida.
O ser humano está tão ocupado com a mídia (para isso ela é tão desenvolvida e diversicada), que se esquece de educar um filho, abraçar o marido, ler um bom livro, mas insistem em assistir os “bbbs” da vida, preferem ver o que acontece em uma casa com gente bonita e sarada, do que dar atenção á causas reais do cotidiano brasileiro.
Não precisa ser religioso para praticar o amor, todos nós nascemos aptos para amar, mas é um valor que vêm sendo esquecido cada vez mais.

Devemos sempre nos colocar na posição do nosso próximo, não sou religioso, mas adepto de uma frase sábia;

“Amais uns aos outros, como á si mesmo” Jesus Cristo

Isso é ter empatia, ninguém que ter um filho sumido, uma filha abusada sexualmente, mas onde está o erro ? Vamos sempre culpar a sociedade ? Sendo que a sociedade é o conjunto de pessoas, como eu e como você ! Nossa história começa em casa, faço a minha parte, você faz á sua, e todos unindos os resultados resultarão em uma utopia, mas pelo menos eu tentei, e você ?
Já parou para pensar na vida do próximo ? Ou está preoculpada com a nova coleção daquela grife famosa ? Já disse o quanto seu filho é importante para você ? Ou prefere deixar ele em um abismo que é a internet hoje em dia ? Já percebeu que reclamas demais ? Sempre temos algo á pensar, não se ocupe com aquela “caixa preta”, ela é muito útil, mas somente em seus 20 %…

Reflitam, a esperança não pode morrer, justiça existe, queremos nosso Lucas Pereira de volta, assim como tantas outras crianças que “somem” injustamente.

Sem mais,
Fábio Santos