Um exercício de compreensão

fevereiro 3, 2010



Minha mensagem será Criança encontrada após o desastre do Haiti
Não tenho mais saliva para falar.
Às vezes me falta a paciência,
Temos que encontrar forças para lutar.
Abrir os olhos para ver,
E não fingir enxergar.
Tocar e sentir,
E não fingir se incomodar.


Relacionamentos estão se desgastando,
Os valores morais se decepando.
Onde está a solidariedade humana,
Eu continuo procurando.
Estamos cada vez nos ocupando mais,
A cobiça está tomando conta de si.
Do que adianta construir castelos,
Sendo que a qualquer momento pode ruir.


Quando a matéria ficar abaixo de tudo,
O que sua alma irá carregar?
Quando o castelo ruir,
Quem irá lhe levantar?
Somos todos como um,
Então porque queremos ser mais que os outros?
Qual a razão de ter o melhor pedaço de concreto,
e ter uma vida vazia sem ninguém por perto?


Estender á mão aos que necessitam,
Não precisa estar com moedas de ouro.
Ajudar sem olhar a quem,
Doar palavras de conforto.
Abraçar sem ser quando ganhar presentes,
Descobrir o amor em seu real significado.
Querer compreender para não errar,
Aprender á ser solidário.


Por Fábio Santos 3/2/2010 20:06:25

Off Topic

Olá pessoal,

Hoje estou reflexivo em relação á solidariedade! Pois a cada dia percebo o quão distante está o Homem dos seus valores, não há mais a preocupação moral, e só se falam sobre coisas que não agregam nenhum beneficio para a sociedade. O mundo esta um caos, pois a natureza é a fonte de vida do ser humano desde o principio, até porque, se não fosse ela a vida não seria possível em nosso Planeta que se chama Terra, e abriga tantas iniqüidades. O que mais me impressiona, e que as pessoas estão expostas em meio a tanta coisa errada, mas fingem não ver, não vejo manifestação, sentimentos, “SOLIDARIEDADE”. Não menciono o fato de dar dinheiro (esmola), mas oferecer uma palavra de consolo, e principalmente “ATENÇÃO” a atitude mais simples e mais ignorada. E o problema se estende a qualquer classe, gênero, cor, etnia, etc. Sendo que somos todos iguais em essência, só temos características diferentes, condições diferente, mas em sumo partimos de um mesmo principio, mas com o tempo nos distanciamos para valores errôneos.

Até a próxima, e não se esqueçam @fabio_santos no Twitter.

Anúncios

What’s going on

janeiro 23, 2010

Como era bom ser criança, brincar pelo quintal sem se preocupar, assistir á programas infantis e rir das coisas alheias, estendendo a mão para ajudar a mãe nos afazeres domésticos. Quanto mais o tempo passa, mais eu me sinto nostálgico, e com vontade de me desligar deste mundo caótico.

Televisão hoje é um meio de deprimir o seu ego, quer ficar mal? Ligue a Televisão. Tudo é tão sensacionalista, ou é a pura verdade que não queremos acreditar. Já perdi a contas do tamanho dos absurdos, dezenas de crianças inocentes e abandonadas em qualquer lugar imundo, adolescentes sendo abusadas, mulheres sendo agredidas pelos seus próprios “parceiros”, e tudo isso sendo supervisionado pela natureza, e me parece que ela não está nem um pouco contente!

É notável a sua ira, o mundo sempre foi desequilibrado, e o Homem não lutou o suficiente para estabelecer um equilíbrio entre o meio ambiente, e o que vemos é a resposta, um grito alarmante que de nada parece ajudar.

Quantas vidas já não estão entre nós, estão perambulando buscando entre os escombros, vestígio de uma vida que se foi, quantos brasileiros se afogando em meio á tanta falta de cuidado e atenção, e o mundo sendo castigado enquanto o Homem finge não saber o motivo.


Aonde vamos parar? Enquanto se datam ofim do mundo, acho que a natureza esta mostrando que quem determina o tempo é ela. Até quando daremos maior atenção para as reformas tecnológicas (paranóia hi-tec)? E se esquecer do meio ambiente que nos acoberta dos acontecimentos naturais (mesmo que devastadores). Até quando nos preocuparemos com a mais perfeita inteligência artificial? E esqueceremos do eu pensante, que no momento de nada pensa e nada acontece.

A pergunta que fica no ar (se desviando das freqüências wi-fi), até quando?

Por Fábio Santos

Sugestão de Musica: What’s going on (Cyndi Lauper)